top of page
Buscar
  • Foto do escritorLuiz Antônio Gaulia

Branding e reputação on-line.


Qual a relação entre o branding e a reputação no ambiente virtual?


Comecemos prelo princípio de resgatar o que significa branding. A história começa com os vaqueiros norte-americanos marcando o gado com símbolos e letras que identificavam quais bois era de determinada fazenda ou de outra. Essa identificação é uma técnica usada até hoje de modo a diferenciar cada proprietário.


Desse método podemos também lembrar dos diversos símbolos que identificam organizações, partidos, sociedades, companhias e instituições e são capazes de nos fazer lembrar sobre o que cada uma representa. Nosso imaginário, portanto, é coberto por símbolos e eles são repletos de significados.


A marca serve como fonte de reconhecimento, lembranças e desejo.


Com o avançar da história, os mercados utilizaram marcas para diferentes produtos. As marcas passaram a ser trabalhadas a partir do design, de cores e apelos visuais. A marca nesses primórdios era puramente algo industrial, proprietário. Mas a concorrência e a inovação fizeram com que essa marca fosse uma imagem a ser valorizada. Foi o tempo da propaganda maciça, a imagem que os consumidores e clientes tinham de uma certa empresa, de um certo produto ou serviço.


Mas o mundo evoluiu. Vivemos em redes de relações, criando vínculos que ligam não apenas clientes ou consumidores com uma marca, mas múltiplos públicos de interesse e que influenciam e são influenciados pela marca.


O branding como um modelo de gestão de valor da marca.

E esse entendimento coloca cada empregado como responsável pela marca e não apenas o pessoal de marketing ou de comunicação ou mesmo uma agência de publicidade.


Vivemos um tempo de gestão das relações humanas em todos os pontos de contato e não mais de gerência de uma imagem.


E como o universo on-line entra nessa história do branding?



Fica mais fácil entender que as mídias sociais causaram uma explosão de conexões e da capacidade de influência da comunicação. Pessoas comuns tiveram acesso não só a mais informação, mas também alcançaram o poder de opinar e influenciar questões políticas, econômicas e de consumo. Nesse sentido tornou-se vital ampliar o olhar sobre conversas que acontecem no ambiente digital além das percepções que ocorrem no ambiente presencial, físico.


On-line e off-line se complementam na estratégia de comunicação.


A dinâmica das mídias sociais é como um tornado que pode crescer e devastar não só a imagem, mas toda a reputação de uma marca numa polvorosa de tweets, posts, publicações, curtidas, comentários e mensagens.


A reputação vai além da imagem e a marca vai além do design.


O entendimento de que o branding reúne em si questões estéticas e éticas pontua de forma clara todo o valor que se busca para um negócio. Os gestores que não compreendem essa questão tendem a dilapidar valor percebido uma vez que ou delegam a gestão da marca para uma área específica, sem integração com o todo da empresa ou vão priorizar um pilar do negócio apenas, como resultado financeiro ou operacional mecanicista, que não considera o ser-humano, por exemplo.


Podemos ainda, para finalizar nosso texto, pensar que a estética é ética uma vez que forma e conteúdo podem muito bem trazer percepções diferenciadas sobre quais valores são defendidos e praticados de fato. Se uma empresa defende o maio ambiente, por exemplo, uma recepção com vaso com plantas ressecadas e sem água comunicarão a incoerência entre discurso e prática.


Estética é ética.


Vamos lembrar que fumaça já foi sinal de progresso no período da revolução industrial ou que uma arquitetura sem beleza, priorizando traços retos e frios pode muito bem significar maior peso materialista sobre a capacidade se sonhar do ser humano e seus desejos de transcendência.


Aquilo que nos inspira torna-se uma força grandiosa para o progresso humano.

Portanto, o branding é inseparável da busca pela boa reputação. Seja em que ambiente for. Virtual ou real. Cada conversa importa.


Vamos pensar e falar mais sobre tudo isso?



Luiz Gaulia


5 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page